28012022Sex
AtualizadoQui, 27 Jan 2022 8pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Metanálise discute obesidade e recorrência bioquímica no câncer de próstata

obesidade 21 bxEstudo de revisão sistemática de Rivera-Izquierdo et al. publicado em janeiro na Prostate Cancer and Prostatic Diseases discute a associação entre obesidade e recorrência bioquímica (BCR, da sigla em inglês) após o tratamento do câncer de próstata (CP) clinicamente localizado, em análise que envolveu quase 90 mil pacientes. “Nosso objetivo foi revisar sistematicamente todas as evidências avaliando a obesidade como fator prognóstico para BCR”, destacam os autores.


Recorrência sintomática e resultados de sobrevida após o tratamento curativo do câncer gástrico

coimbra costa 2022A vigilância intensiva após o tratamento de pacientes com câncer gástrico com intenção curativa pode levar a um diagnóstico precoce de recorrência da doença, mas seu impacto na sobrevida pouco foi avaliado e é incerto. Agora, estudo de pesquisadores do A.C.Camargo Cancer Center publicado no Annals of Surgical Oncology buscou avaliar se o diagnóstico precoce de recorrência da doença em pacientes assintomáticos estava associado à sobrevida em longo prazo. O cirurgião oncológico Thiago Pereira Diniz é o primeiro autor do trabalho; Felipe Coimbra (na foto, à direita), diretor do Departamento de Cirurgia Abdominal da instituição, e o pesquisador Wilson da Costa Junior, da Baylor University, são os autores sênior.

FDA aprova novo tratamento para melanoma uveal

fda predioA agência Food and Drug Administration (FDA) anunciou no último dia 25 de janeiro a aprovação do anticorpo biespecífico Tebentafusp (Kimmtrak®, da Immunocore) para o tratamento de pacientes adultos com melanoma uveal metastático ou irressecável. A decisão marca o registro sanitário do primeiro anticorpo biespecífico para essa população de pacientes.” É um marco histórico”, resume Bahija Jallal, CEO da Immunocore. “Todos os anos, centenas de pessoas são diagnosticadas com melanoma uveal metastático nos Estados Unidos e até agora não tinham opções de tratamento aprovadas. Esta é a primeira terapia a demonstrar benefício de sobrevida para esses pacientes”, disse.

União europeia estima 369 mil mortes por câncer em 2022

grafico eu2022Dados reportados 25 de janeiro no Annals of Oncology apresentam as previsões de mortalidade para as 10 principais causas de mortalidade por câncer em 2022 em 27 países da União Europeia (UE), com especial atenção ao câncer de ovário. "Em 2022, cerca de 369 mil mortes foram evitadas em comparação com o pico da taxa de mortalidade por câncer registrado em 1988", apontam os autores.

As taxas de mortalidade por câncer vêm diminuindo na Europa nas últimas três décadas, embora não tenha havido redução nos números absolutos de mortes. Nesta análise, Dalmartello e colegas projetaram a mortalidade total por câncer e a mortalidade pelos 10 principais sítios de câncer entre 1989 e 2022, assim como o número de mortes por câncer evitáveis, em análise que compreendeu a União Europeia (UE), Reino Unido, França, Alemanha, Itália, Polônia e Espanha, a partir da certificação de óbito por câncer e dados populacionais da Organização Mundial de Saúde e da Eurostat, desde 1970.

Modelo prediz risco de fadiga grave em sobreviventes de câncer de mama

fadiga bxA fadiga é frequente em sobreviventes de câncer de mama, mas são limitadas as ferramentas para prever seu risco e dimensionar o impacto na qualidade de vida. Agora, estudo publicado online no Journal of Clinical Oncology (JCO) apresenta um modelo validado que pode ajudar a fornecer intervenções precoces ou corrigir fatores de risco modificáveis ​​ para pacientes em risco de fadiga grave pós-tratamento.

Lenvatinibe mais pembrolizumabe no câncer de endométrio avançado

Gineco NET OKEm publicação ahead of print na New England Journal of Medicine (NEJM), Makker V et al. apresentam resultados de estudo randomizado de Fase 3 que avaliou lenvatinibe mais pembrolizumabe em pacientes com câncer de endométrio avançado. O estudo atingiu seu principal endpoint e mostrou que a combinação trouxe benefício de sobrevida global e sobrevida livre de progressão nessa população de pacientes.

FDA concede nova revisão prioritária para trastuzumabe deruxtecana no câncer de mama HER2-positivo metastático

fda predioA Food and Drug Administration (FDA) concedeu Revisão Prioritária ao conjugado anticorpo droga (ADC) trastuzumabe deruxtecana (Enhertu®, Daiichi Sankyo-AstraZeneca). O anúncio da autoridade reguladora dos EUA tem como base os resultados do DESTINY-Breast03, ensaio randomizado de Fase III que avaliou trastuzumabe deruxtecana versus TDM-1 em pacientes com câncer de mama HER2-positivo irressecável e/ou metastático previamente tratados com trastuzumabe e um taxano.

Nova combinação mostra resultados no melanoma avançado

Sergio Azevedo NET OK 2Estudo com participação brasileira publicado na New England Journal of Medicine (NEJM) mostra que a combinação de relatlimab, um anticorpo bloqueador de LAG-3, com o anti PD-1 nivolumabe é segura e eficaz em pacientes com melanoma avançado sem tratamento prévio. O oncologista Sergio Azevedo (foto), Professor da Faculdade de Medicina da UFRGS e Chefe do Serviço de Oncologia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), é coautor do trabalho e comenta os resultados.

Consenso europeu discute hipofracionamento no câncer de mama inicial

gustavo nader marta bxA edição de janeiro do Lancet Oncology publicou consenso da Sociedade Europeia de Radioterapia e Oncologia (ESTRO) com recomendações para radioterapia com hipofracionamento no câncer de mama inicial. O consenso tem participação do brasileiro Gustavo Nader Marta (foto), do Hospital Sírio-Libanês, e analisa regimes de hipofracionamento moderado e ultra-hipofracionados, com orientações que vão da seleção de pacientes à definição do volume-alvo para cada indicação.

Mutações KRAS e impacto na sobrevida no câncer colorretal

alessandro leal 2020Mutações KRAS são conhecidas por influenciar o prognóstico do paciente e são usadas como biomarcador preditivo para decisões de tratamento. Estudo com participação do brasileiro Alessandro Leal (foto) examinou as características clínicas de pacientes com mCRC com mutação somática em KRAS G12, G13, Q61, K117 ou A146. Os resultados foram reportados no JCO Precision Oncology e mostram que portadores de uma mutação KRAS A146 têm carga tumoral mais alta e sobrevida global inferior.

Sobrevida em LLA quase dobra em 20 anos

ASH Sangue NET OK 2Para pacientes com leucemia linfoblástica aguda (LLA) portadores do cromossomo Filadélfia que recidivaram após transplante alogênico de célula-tronco hematopoiética (HCT), a taxa de sobrevida global em dois anos quase dobrou do período de 2000 a 2004 para o período entre 2015 e 2019. É o que revela estudo publicado na Clinical Cancer Research, publicação da American Association for Cancer Research.

Cuidado domiciliar versus terapia ambulatorial no tratamento do câncer

home care bxA mudança de certos procedimentos ambulatoriais para a casa do paciente pode ser uma estratégia de alta qualidade, centrada no paciente, além de alternativa econômica à assistência ambulatorial padrão (SOC) no tratamento do câncer. A conclusão é de estudo randomizado reportado por Cool et al no JCO Global Oncology.

Sedentarismo piora resultados em sobreviventes de câncer

sedentario bxEstudo de coorte prospectivo demonstrou que o comportamento sedentário aumenta o risco de mortalidade por todas as causas e mortalidade câncer-específica em sobreviventes da doença. O maior risco foi entre os inativos ou insuficientemente ativos, com tempo sentado superior a 8 horas por dia. Os resultados foram publicados no JAMA Oncology.

Novo padrão no carcinossarcoma ginecológico

andreia melo 2020 bxPublicado no Journal of Clinical Oncology (JCO), estudo randomizado de fase III (NCT00954174) de pesquisadores do NRG Oncology Group mostrou que a quimioterapia com paclitaxel e carboplatina não foi inferior ao regime paclitaxel e ifosfamida no tratamento de pacientes com carcinossarcoma uterino. “Os resultados confirmam que a combinação de paclitaxel e carboplatina é um esquema posológico conveniente e seguro e deve ser a terapia padrão para pacientes com carcinossarcomas ginecológicos”, afirma a oncologista Andreia Melo (foto), chefe da Divisão de Pesquisa Clínica do Instituto Nacional do Câncer (INCA) e Diretora de Pesquisa do Grupo Brasileiro de Tumores Ginecológicos (EVA/GBTG).

Dieta, estilo de vida e modelos preditivos em pacientes com câncer de cólon

exercicio alimentacao bxCada vez mais evidências sugerem que a dieta e os hábitos de vida estão associados à sobrevida após o diagnóstico de câncer de cólon. No entanto, os atuais modelos preditivos com base clínica e patológica para resultados de sobrevida no câncer de cólon não incorporam essas variáveis. Para preencher essa lacuna, pesquisadores desenvolveram modelos de predição de sobrevida livre de doença (DFS) e sobrevida global incorporando nove fatores de dieta e estilo de vida auto-relatados por pacientes com câncer de cólon estádio III. Os resultados foram publicados no Journal of Clinical Oncology (JCO).

Carga global do câncer entre 2010 e 2019

mapa mundo 22 bxQual foi a carga global do câncer estratificada por Índice Sociodemográfico (SDI) em 2019, e qual foi a variação da incidência, morbidade e mortalidade desde 2010? Análise sistemática publicada no JAMA Oncology demonstrou que a carga absoluta de câncer aumentou em todos os quintis de SDI desde 2010, com os maiores aumentos percentuais ocorrendo nos quintis com de SDI baixo e médio-baixo. “Os resultados sugerem que maiores esforços de prevenção e controle do câncer são necessários para abordar equitativamente a evolução e aumento da carga de câncer em todo o espectro do Índice Sociodemográfico”, sustentam os autores.

CMED define preço para trastuzumabe deruxtecana no tratamento do câncer de mama

MAMA bxO conjugado anticorpo-droga (ADC) trastuzumabe deruxtecana (Enhertu®, Daiichi Sankyo/Astrazeneca) recebeu dia 22 de dezembro a liberação da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED), que definiu o preço de comercialização no Brasil. Indicado para o tratamento de pacientes com câncer de mama HER2-positivo irressecável ou metastático previamente tratados com dois ou mais regimes anti-HER2, o agente foi aprovado em outubro pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)1 com base nos resultados do estudo Fase II DESTINY-Breast012.

Assinatura gênica como biomarcador prognóstico e preditivo em pacientes com câncer de mama lobular invasivo

Os ensaios de expressão genômica fornecem informações prognósticas e orientam as decisões de quimioterapia adjuvante para pacientes com câncer de mama RE-positivo. Poucos estudos avaliaram a utilidade desses ensaios para carcinoma lobular invasivo (CLI). Agora, estudo publicado no periódico Breast Cancer Research and Treatment buscou avaliar o teste de assinatura de 70 genes como uma ferramenta prognóstica e preditiva para CLI usando um banco de dados nacional de câncer. Os resultados são tema de análise de Silvio Bromberg (foto), mastologista do Hospital Israelita Albert Einstein e da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo. Ouça no PODCAST Onconews.

Ativação da via cGAS-STING e resposta à terapia neoadjuvante no câncer de mama

Genomica Personal NET OKA assinatura de resposta imune de dano ao DNA (DDIR, da sigla em inglês) é uma assinatura de expressão gênica imune validada retrospectivamente como preditor de resposta à terapia baseada em antraciclina. Agora, Parkes et al. avaliaram prospectivamente o uso deste ensaio para prever resposta à quimioterapia neoadjuvante no câncer de mama inicial com base no status DDIR. Os resultados estão em acesso aberto, em artigo no British Journal of Cancer, e mostram o papel da via cGAS-STING.

Perspectiva epigenética dos tumores de cabeça e pescoço

sheila inca 21Diego Camuzi, Pesquisador do Programa de Carcinogênese Molecular do Instituto Nacional do Câncer (INCA) é primeiro autor de artigo de revisão publicado na Cancers que explora como as alterações na metilação do DNA e na expressão de microRNA contribuem para o desenvolvimento e progressão do carcinoma de células escamosas de cabeça e pescoço (CCECP). A pesquisadora Sheila Coelho Soares-Lima (foto) é a autora sênior do trabalho.


Publicidade
NOVARTIS
Publicidade
KITE PHARMA
Publicidade
Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519