25102020Dom
AtualizadoSáb, 24 Out 2020 10pm

Conheça o Podcast Onconews no Spotfy

Rastreamento do câncer de mama na mulher idosa, qual a evidência?

linei augusta brolini delle urban 2020 bxEnsaios randomizados mostraram que iniciar o rastreamento do câncer de mama em mulheres de 50 e 69 anos e continuar a triagem por 10 anos diminui a mortalidade por câncer de mama. No entanto, nenhum estudo avaliou se ou quando é possível parar com segurança o rastreamento por mamografia. Estima-se que 52% das mulheres com 75 anos ou mais são submetidas à mamografia nos Estados Unidos, mas isso tem impacto na redução da mortalidade por câncer de mama? Quem comenta é Linei Urban (foto), coordenadora da Comissão Nacional de Mamografia do Colégio Brasileiro de Radiologia e radiologista da Clínica DAPI, em Curitiba.


Carcinoma endometrioide associado à cicatriz provocada por endometriose

eduardo paulino 19 jpgO carcinoma decorrente de uma cicatriz da parede abdominal associada à endometriose é uma entidade rara e não há diretrizes de tratamento específicas. Eduardo Paulino (foto), Andreia Cristina de Melo e Vinícius Freire da Silva, do Departamento de Ginecologia Oncológica do Instituto Nacional do Câncer (INCA), relatam estudo de caso em artigo no American Journal of Case Report que revisa a literatura sobre diagnóstico, apresentação clínica, tratamento e prognóstico.

Comissão Europeia aprova formulação subcutânea de daratumumabe para tratamento do mieloma múltiplo

approved NET OKA Comissão Europeia aprovou o daratumumabe e hialuronidase-fihj (Darzalex Faspro™), uma formulação subcutânea de daratumumabe para o tratamento de pacientes com mieloma múltiplo, incluindo pacientes recém-diagnosticados, inelegíveis para transplante, bem como pacientes recidivados ou refratários. A aprovação é baseada em dados dos estudos de Fase III COLUMBA (MMY3012)1 e Fase II PLEIADES (MMY2040)2.

Atividade física e prevenção do câncer

Leandro NET OKExercícios de resistência muscular associados à prática de atividades aeróbicas podem ajudar a prevenir certos tipos de câncer, especialmente o câncer de bexiga e renal. Os resultados são de estudo realizado por pesquisadores da Escola Paulista de Medicina (EPM/Unifesp) e da Faculdade de Medicina da USP, em parceria com a Universidade de Harvard, e foram publicados no British Journal of Cancer. “Nossos dados ressaltam a importância da atividade física, aeróbica e de força muscular, na prevenção da doença”, destaca Leandro Fórnias Machado de Rezende (foto), pesquisador do Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e primeiro autor do trabalho.

Linfoma anaplásico de células grandes associado ao implante mamário

banner podcast onconews 300x250pxSílvio Bromberg, mastologista do Centro de Oncologia do Hospital Israelita Albert Einstein e do departamento de Mastologia da BP Mirante, discute artigo publicado no Journal of Clinical Oncology com diretrizes para o diagnóstico patológico do linfoma anaplásico de células grandes associado ao implante mamário. Ouça, em mais um PODCAST ONCONEWS.

Quimioterapia com platina no câncer de pâncreas metastático HR-mutado 

CASALI 2018 NET OKPacientes com câncer de pâncreas metastático com mutações somáticas ou na linhagem germinativa nos genes de reparo do DNA apresentaram melhores resultados clínicos com a quimioterapia à base de platina em comparação com pacientes sem essas mutações. Os resultados foram publicados na Clinical Cancer Research, periódico da American Association for Cancer Research (AACR). O oncogeneticista José Cláudio Casali (foto), chefe do Departamento de Oncogenética do A.C.Camargo Cancer Center e 2º Diretor Científico do Grupo Brasileiro de Oncologia de Precisão (GBOP), comenta o trabalho.

COVID-19: recomendações para pacientes com câncer

ramon 2020 bxPesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) são coautores de artigo publicado no Lancet Oncology que busca revisar as diretrizes disponíveis de 63 sociedades de oncologia e disponibilizar recomendações para pacientes com câncer durante a pandemia da COVID-19 em 22 idiomas. O oncologista Ramon Andrade de Mello (foto)*, um dos 48 médicos de 27 países que participaram voluntariamente do painel científico internacional, comenta a iniciativa.

Fadiga em sobreviventes de câncer de mama

azambuja ok bxEstudo apresentado no ESMO Breast Cancer Virtual Meeting 2020, realizado nos dias 23 e 24 de maio, demonstrou que a fadiga relacionada ao câncer entre sobreviventes de câncer de mama precoce é um assunto negligenciado. “A fadiga relacionada ao câncer acomete uma a cada três mulheres e muitas vezes não é um assunto abordado em consultas de rotina. Esses resultados reforçam a necessidade de discutir diferentes métodos para ajudar essas pacientes”, observa o oncologista Evandro de Azambuja (foto), do Institut Jules Bordet, em Bruxelas, Bélgica.

Interação entre câncer e distúrbio pós-séptico

caio abner bxEstudo brasileiro multicêntrico publicado no Journal for Immunotherapy of Cancer demonstrou que os linfócitos T reguladores produzidos após uma infecção grave podem inibir o câncer colorretal induzido por inflamação intestinal (colite). O trabalho foi tema de doutorado do médico Caio Abner Leite (foto), doutor em Oncologia pelo A.C. Camargo Cancer Center.

FDA aprova olaparibe no câncer de próstata metastático resistente à castração

approved NET OKA U.S. Food and Drug Administration (FDA) aprovou olaparibe (Lynparza®, Astrazeneca) para o tratamento de pacientes com câncer de próstata metastático resistente à castração e mutação em genes de reparo da recombinação homóloga (HRRm) que progrediram após tratamento prévio com enzalutamida ou abiraterona. A aprovação foi baseada nos resultados do estudo de Fase III PROfound, publicado na New England Journal of Medicine1.

Atividade física e qualidade de vida no câncer de pulmão

gilberto castroRevisão sistemática realizada por alunos da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) buscou avaliar o efeito da atividade física sobre os sintomas e a qualidade da vida em pacientes com câncer de pulmão. Os resultados do estudo foram publicados no periódico Supportive Care in Cancer. O oncologista Gilberto Castro (foto), chefe da Área de Oncologia Torácica do ICESP e médico do Centro de Oncologia do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, é o autor sênior do trabalho.

Experiência institucional no tratamento do câncer de endométrio

jesus carvalho 2020 bxEstudo publicado no periódico PLOS ONE analisou as características clínico-patológicas, fatores prognósticos e resultados de pacientes com câncer de endométrio tratadas e acompanhadas por um período de 10 anos no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP). O ginecologista Jesus Paula Carvalho (foto), Professor da FMUSP e chefe da Equipe de Ginecologia do ICESP, é o autor sênior do trabalho que tem a ginecologista Cristina Anton como primeira autora.

FDA aprova ripretinib para o tratamento de quarta linha de GIST

aprovado 2019 bxA agência norte-americana Food and Drug Administration (FDA) aprovou o ripretinib (QINLOCK™, Deciphera Pharmaceuticals, Inc.) para a quarta linha de tratamento de pacientes adultos com tumor estromal gastrointestinal avançado (GIST) que receberam tratamento prévio com 3 ou mais inibidores de quinase, incluindo o imatinibe. A aprovação é baseada no estudo de Fase III INVICTUS.

FDA aprova rucaparib para câncer de próstata metastático resistente à castração BRCA-mutado

BALANCO PROSTATA bx ASCOGUA U.S. Food and Drug Administration concedeu aprovação acelerada ao rucaparib (RUBRACA®, Clovis Oncology, Inc.) para pacientes com mutação BRCA (linha germinativa e/ou somática) associada ao câncer de próstata metastático resistente à castração (mCRPC) tratados previamente com terapia de deprivação androgênica e quimioterapia à base de taxano. A aprovação é baseada no estudo TRITON2.

Imunoterapia em combinação na primeira linha de tratamento do CPNPC com expressão de PD-L1

approved NET OKA U.S. Food and Drug Administration (FDA) aprovou a combinação dos inibidores de checkpoint nivolumabe (Opdivo®) e ipilimumabe (Yervoy®) para o tratamento de primeira linha de pacientes com câncer de pulmão não pequenas células (CPNPC) metastático com expressão de PD-L1 ≥1% e sem alterações EGFR ou ALK conhecidas. A aprovação é baseada na parte 1a do estudo de Fase III CheckMate -227. A agência norte-americana também aprovou o PD-L1 IHC 28-8 pharmDx (Agilent Technologies, Inc.) como um dispositivo de diagnóstico complementar para selecionar pacientes com CPNPC para o tratamento com a combinação.

Quimioablação no câncer urotelial

wroclawski alta 2020 bxA maioria dos pacientes com carcinoma urotelial de baixo grau do trato urinário superior é tratada por nefroureterectomia radical. Artigo de Kleinmann, N et al discute a segurança e a atividade de um tratamento não cirúrgico usando a instilação de UGN-101, um gel térmico contendo mitomicina. Quem comenta é Marcelo Wroclawski (foto), urologista do Hospital Israelita Albert Einstein e da BP – a Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Custo e valor no tratamento do câncer

FARMACOECONOMIA NET OK 2Estudo que avaliou a relação custo/benefício dos medicamentos para câncer aprovados nos EUA e em quatro países europeus (Inglaterra, Suíça, Alemanha e França) concluiu que o custo mensal do tratamento de câncer foi mais que o dobro nos EUA. No entanto, os elevados custos mensais dos medicamentos não foram correlacionados com benefício clínico. Os resultados estão em artigo de Vokinger, KN et al. no Lancet Oncology.

CALGB 40903: dúvidas e controvérsias na gestão do CDIS

banner podcast onconews 300x250pxEm mais um PODCAST ONCONEWS, o mastologista Sílvio Bromberg, do Centro de Oncologia do Hospital Israelita Albert Einstein e do departamento de Mastologia da BP Mirante, revisita o estudo CALGB 40903, agora analisando as perspectivas de Mônica Morrow e Eric Winer, referências mundiais na oncologia mamária, sobre este estudo que avaliou letrozol pré-operatório para pacientes na pós-menopausa com receptor hormonal positivo e diagnóstico de CDIS. Ouça.

Letrozol neoadjuvante no CDIS

banner podcast onconews 300x250pxEm mais um PODCAST ONCONEWS, o mastologista Sílvio Bromberg, do Centro de Oncologia do Hospital Israelita Albert Einstein e do departamento de Mastologia da BP Mirante, analisa estudo de Fase II do CALGB (Alliance) que explorou a viabilidade de um ciclo de letrozol pré-operatório em pacientes com carcinoma ductal in situ (CDIS). Os resultados mostram que a estratégia resultou em alterações significativas nos exames de imagem e nos achados de histopatologia. Ouça aqui.

Inibidor de PARP como manutenção no câncer de ovário avançado

OvarioO inibidor de PARP olaparibe (Lynparza®, Astrazeneca) em combinação com bevacizumabe foi aprovado nos Estados Unidos para o tratamento de manutenção no câncer epitelial avançado de ovário, trompa de Falópio ou peritoneal primário, em pacientes que alcançaram resposta completa ou parcial à quimioterapia de primeira linha com platina, com tumores que apresentam deficiência de recombinação homóloga (DRH).


Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
300x250 ad onconews200519