25102020Dom
AtualizadoSáb, 24 Out 2020 10pm

Conheça o Podcast Onconews no Spotfy

Imunoterapia e qualidade de vida em idosos com câncer de pulmão

theodora karnakis bxA imunoterapia com inibidores de checkpoint anti-PD-1 e anti-PD-L1 foi implementada no tratamento de pacientes com câncer de pulmão de não pequenas células (CPNPC) no cenário da doença localmente avançada e metastática. No entanto, a maioria dos dados disponíveis deriva de ensaios com pacientes mais jovens e com performance status superior ao de pacientes idosos. Artigo1 da Sociedade Internacional de Geriatria Oncológica publicado no British Journal of Cancer reúne recomendações para preencher lacunas de evidência nesta população de pacientes. A geriatra Theodora Karnakis (foto) comenta o trabalho.

“A literatura ainda é falha na inserção dos idosos nos estudos, assim como em endpoints que devem ser implementados2,3”, observa a especialista, coordenadora de oncogeriatria do ICESP e do núcleo de oncologia do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. “Outra grande preocupação resulta de potenciais interações medicamentosas, uma vez que comorbidades estão frequentemente presentes em pacientes idosos e muitos medicamentos compartilham vias metabólicas semelhantes, particularmente mediadas pelo complexo do citocromo P450. Portanto, uma reconciliação farmacológica detalhada é fortemente recomendada antes de iniciar tais agentes nesta subpopulação”, acrescenta.

No artigo, Gomes, F. et al. argumentam que apesar de preocupações relacionadas ao envelhecimento do sistema imunológico (imunosenescência), é também presente a preocupação de que pacientes mais velhos podem estar em risco de eficácia inferior e /ou aumento dos efeitos adversos com esses agentes. “Dados sobre pacientes> 75 anos estão faltando e muitas vezes os dados disponíveis neste grupo são conflitantes, refletindo  o pequeno tamanho da amostra dessa coorte de idosos, menor tolerância à terapia e comorbidades adicionais nesta população”, descrevem os autores, que defendem mais estudos prospectivos em cenários de mundo real, a exemplo do estudo ELDERS.

Neste estudo de coorte observacional foram incluídos 140 pacientes (com CPNPC) ou melanoma) para avaliar segurança e investigar a QV da imunoterapia em pacientes idosos e mais jovens (ponto de corte aos 70 anos). Análise provisória dos primeiros 32 pacientes com CPNPC não relatou diferenças significativas na toxicidade entre os grupos etários em uma população do mundo real. Os resultados finais deste estudo são esperados no final de 2020.

“Ainda não está totalmente claro se o pior performance status (PS) aumentou a incidência de comorbidades que podem estar associadas à idade avançada ou prever mais toxicidade e / ou menos eficácia com imunoterapia”, esclarecem os autores.

A partir dos dados já disponíveis, os autores sustentam que não há necessidade de excluir do tratamento com imunoterapia pacientes com status de desempenho razoável com base na idade. No entanto, advertem que o impacto de longo prazo não está claro, assim como as comorbidades. “Em conclusão, há uma necessidade essencial de gerar dados para abordar o uso de imunoterapia na população idosa, inclusive em pacientes vulneráveis ​​e frágeis “, analisam os autores. “Endpoints devem se basear não apenas na sobrevida ou resposta ao tratamento, mas incluir também resultados de qualidade de vida”, propõem.

“A Sociedade Internacional de Oncogeriatria (SIOG) tem levantado a importância da avalição de instrumentos de qualidade de vida e funcionalidade na tomada de decisão do tratamento oncológico no idoso. A viabilidade de estudos com terapias direcionadas, sem dúvida, é um caminho sem volta e que possibilitara tratamentos mais seguros para essa população”, conclui Theodora.

Referências:

1 - Gomes, F., Wong, M., Battisti, N.M.L. et al. Immunotherapy in older patients with non-small cell lung cancer: Young International Society of Geriatric Oncology position paper. Br J Cancer 123, 874–884 (2020). https://doi.org/10.1038/s41416-020-0986-4

2 - Elias R, Karantanos T, Sira E, Hartshorn KL. Immunotherapy comes of age: Immune aging & checkpoint inhibitors. J Geriatr Oncol. 2017;8(3):229-35.

3 - Nishijima TF, Muss HB, Shachar SS, Moschos SJ. Comparison of efficacy of immune checkpoint inhibitors (ICIs) between younger and older patients: A systematic review and meta-analysis. Cancer Treat Rev. 2016;45:30-7.

 


Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner_janssen2016_300x250_v2.jpg
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
300x250 ad onconews200519