19092021Dom
AtualizadoSáb, 18 Set 2021 9pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Fatores de risco para disgeusia durante quimioterapia

disgeusiaEstudo transversal retrospectivo analisou os fatores de risco para disgeusia transquimioterápica em pacientes com câncer. Os resultados foram publicados no periódico Supportive Care in Cancer, em artigo que tem a estomatologista Cássia Nóbrega Malta como primeira autora.

Os pacientes foram avaliados antes de cada ciclo de quimioterapia quanto à presença/gravidade da disgeusia com base na escala de Critérios de Terminologia Comum para Eventos Adversos (CTCAE) v5.0 para efeitos adversos, e classificados como 0 - sem alteração no paladar; 1 - paladar alterado sem impacto nos hábitos alimentares; ou 2 - paladar alterado com impacto nos hábitos alimentares.

As informações de 2 anos de avaliações foram coletadas e os registros médicos revisados ​​para obtenção de dados sobre o ciclo de quimioterapia, sexo, idade, índice de massa corporal, área de superfície corporal, tumor primário, protocolo de quimioterapia e histórico de radioterapia de cabeça e pescoço. O teste X2 e a regressão logística multinomial foram usados ​​para análise estatística (SPSS 20.0, p <0,05).

Resultados

Entre 7.425 pacientes no total, 3.047, 2.447 e 1931 foram avaliados após o primeiro, segundo e terceiro ciclos de quimioterapia, respectivamente. Um quinto dos pacientes (19,0%) apresentou perda significativa do paladar, com 1118 (15,0%) apresentando disgeusia grau 1 e 442 (6,0%) disgeusia grau 2.

A duração da quimioterapia (p <0,001), sexo feminino (p <0,001), localização do tumor primário no útero (p = 0,008), cabeça e pescoço (p = 0,012) e testículos (p = 0,011) e uso de ifosfamida (p = 0,009), docetaxel (p = 0,001), paclitaxel (p <0,001), pertuzumabe (p = 0,005), bevacizumabe (p <0,001) e dacarbazina (p = 0,002) aumentaram independentemente o risco de disgeusia. Nos tumores de cabeça e pescoço, a história prévia de radioterapia aumentou significativamente a prevalência de disgeusia (p = 0,017), assim como o uso de cisplatina (p = 0,001).

“Entre os fatores que aumentam o risco de disgeusia estão o número de ciclos de quimioterapia, sexo, tumores primários no útero, cabeça e pescoço e testículo, além do tratamento com ifosfamida, docetaxel, paclitaxel, pertuzumabe, bevacizumabe e dacarbazina”, concluíram os autores.

Referência: Malta, C.E.N., de Lima Martins, J.O., Carlos, A.C.A.M. et al. Risk factors for dysgeusia during chemotherapy for solid tumors: a retrospective cross-sectional study. Support Care Cancer (2021). https://doi.org/10.1007/s00520-021-06219-4

 

 

Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
MERCK
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
300x250 ad onconews200519