21052022Sáb
AtualizadoSex, 20 Maio 2022 7pm

PUBLICIDADE
Daichii Sankyo

Metanálise discute obesidade e recorrência bioquímica no câncer de próstata

obesidade 21 bxEstudo de revisão sistemática de Rivera-Izquierdo et al. publicado em janeiro na Prostate Cancer and Prostatic Diseases discute a associação entre obesidade e recorrência bioquímica (BCR, da sigla em inglês) após o tratamento do câncer de próstata (CP) clinicamente localizado, em análise que envolveu quase 90 mil pacientes. “Nosso objetivo foi revisar sistematicamente todas as evidências avaliando a obesidade como fator prognóstico para BCR”, destacam os autores.

Foram consideradas as publicações na PubMed, Web of Science e Scopus até 1º de junho de 2021. A revisão considerou estudos de coorte sobre BCR em pacientes com câncer de próstata estratificados por índice de massa corporal (IMC). Para avaliar a qualidade dos estudos selecionados, os pesquisadores utilizaram a escala de Newcastle–Ottawa (NOS). O risco de BCR entre pacientes obesos (IMC ≥ 30 kg/m2) foi comparado com o risco em pacientes com peso normal (IMC < 25), agrupando as razões de risco individuais (HR). A revisão também considerou associações para IMC contínuo por 5 kg/m2, além de análises de subgrupos para avaliar as razões da heterogeneidade e os critérios causais. 

Resultados

A revisão identificou 46 estudos de coorte, incluindo 86.490 pacientes com CP. Um total de 14.719 (17,1%) pacientes desenvolveu recorrência bioquímica. Não houve definição consistente de BCR. A obesidade foi associada à BCR (HR: 1,25, IC 95%: 1,11–1,39, I2: 70,3%), assim como houve aumento de 10% (IC 95%: 4–15%, I2: 66,3%) na ocorrência de BCR por 5 kg/mde aumento no IMC. Os autores ainda destacam que a heterogeneidade foi alta, mas diminuiu no subgrupo de pontuação NOS de maior qualidade e foi menor quando o IMC foi medido pelos pesquisadores (I2: 0,0%). A associação foi consistente em pacientes que receberam prostatectomia radical, mas não em pacientes que receberam outras terapias.

“A obesidade mostrou relação moderada e consistente com a recorrência bioquímica após a prostatectomia radical. A medição do IMC e BCR foi variável, destacando a necessidade de diretrizes clínicas padronizadas. Programas preventivos de controle de peso podem ter papel na redução da BCR para pacientes com CP clinicamente localizados”, conclui a revisão. 

Referência: Rivera-Izquierdo, M., Pérez de Rojas, J., Martínez-Ruiz, V. et al. Obesity and biochemical recurrence in clinically localised prostate cancer: a systematic review and meta-analysis of 86,490 patients. Prostate Cancer Prostatic Dis (2022). https://doi.org/10.1038/s41391-021-00481-7

 

 

Publicidade
KITE PHARMA
Publicidade
NOVARTIS
Publicidade
https://xperienceforumoncologia21.com.br/
Publicidade
SANOFI
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
300x250 ad onconews200519