24112020Ter
AtualizadoTer, 24 Nov 2020 4pm

Conheça o Podcast Onconews no Spotfy

Atividade física em idosos sobreviventes de câncer

idosa atividade fisica bxOs resultados de estudo da American Cancer Society (ACS) publicados na Cancer sugerem que maiores quantidades de atividade física regular de intensidade moderada a vigorosa (do inglês, MVPA - moderate-to vigorous-intensity physical activity) e menos tempo sedentário estão associadas a melhor saúde física e mental de idosos sobreviventes de câncer.

A transição demográfica destaca a necessidade de identificar estratégias associadas ao envelhecimento saudável e à melhoria da qualidade de vida dos sobreviventes do câncer. Apesar disso, até hoje poucos estudos examinaram associações entre atividade física moderada a vigorosa (MVPA) e tempo de sedentarismo com a qualidade de vida em sobreviventes de câncer em comparação com um grupo controle sem câncer.

Nesse trabalho, os pesquisadores analisaram atividades físicas aeróbicas e de fortalecimento muscular autorreferidas, tempo de sedentarismo e saúde física e mental entre quase 78 mil participantes do ACS’s Cancer Prevention Study II Nutrition Cohort.

Métodos e resultados

Os participantes (59,9% mulheres com idade de 77,8 ± 5,8 anos) foram agrupados em sobreviventes de 1 a 5 anos após o diagnóstico (grupo 1, 3718 participantes); sobreviventes de 6 a 10 anos após o diagnóstico (grupo 2, 4248 participantes); e participantes sem câncer (grupo 3, ou seja, sem histórico de câncer; 69.860 participantes).

Em 2009, os participantes completaram as pesquisas MVPA, tempo de sedentarismo e Patient-Reported Outcomes Measurement Information System GMH/GPH. Diferenças médias nos escores GMH e GPH entre MVPA (nenhum, 0 a < 7,5, 7,5 a < 15, 15 a < 22,5 e > igual a 22,5 equivalente metabólico [MET] horas/semana) e tempo de sedentarismo (0 a < 3, 3 a < 6 e 6 > igual a 6 horas/dia) foram avaliados usando modelos lineares multivariados.

Os escores médios de GMH e GPH foram significativamente maiores em participantes sem câncer em comparação com grupos de sobreviventes de câncer, embora as diferenças não fossem clinicamente significativas (diferença média de 0,52 para GMH e 0,88 para GPH). Mais atividade física regular de intensidade moderada a vigorosa foi associada a maiores escores de GMH e GPH para todos os 3 grupos (P for trend < 0,001), e as diferenças entre os participantes menos e mais ativos foram consideradas clinicamente significativas (diferenças médias de > igual 4,34 para GMH e > igual 6,39 para GPH).

Da mesma forma, uma menor duração do tempo sedentário foi associado a maiores escores de GMH e GPH para todos os grupos (P for trend <, 001), com diferenças clinicamente significativas observadas entre os participantes menos e mais sedentários (diferenças médias de > igual 2,74 para GMH e > igual 3,75 para GPH).

“Os achados fornecem evidências da importância de praticar atividade física regular de intensidade moderada a vigorosa regularmente e diminuir o tempo de sedentarismo como uma estratégia não farmacológica razoável para melhorar a qualidade de vida em homens e mulheres idosos, com ou sem um diagnóstico prévio de câncer”, concluem os autores.

Referência: Rees‐Punia, E., Patel, A. V., Nocera, J. R., Chantaprasopsuk, S., Demark‐Wahnefried, W., Leach, C. R., … Gapstur, S. M. (2020). Self‐reported physical activity, sitting time, and mental and physical health among older cancer survivors compared with adults without a history of cancer. Cancer. doi:10.1002/cncr.33257 

  


Publicidade
banner pfizer 2018 institucional 300x250px
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
banner libbs2019 300x250
Publicidade
banner astellas 2019 300x250
Publicidade
Zodiac
Publicidade
Astrazeneca
Publicidade
IBCC
Publicidade
300x250 ad onconews200519